Notas Expressas

Tivemos um enxugamento do nosso corpo de repórteres, mas estamos, aos poucos, retomando o ritmo de publicação de matérias.
(atualizado em 20 de outubro de 2007)


sexta-feira, 6 de outubro de 2006

Ultra_som

por Carolina Martins e Carolina Menkes
foto: www.bandabeijaflor.blogspot.com

Na década de 60, em plena ditadura militar, a música experimental ganhou destaque no Brasil. Os Mutantes apresentavam um rock anárquico, com instrumentos inusitados, que resultou em um som que alternava psicodelia, influência dos Beatles, música concreta, música erudita e até o samba. Hoje em dia, artistas tem buscado cada vez mais, nas variadas fontes sonoras, inspirações para transpor os limites dos instrumentos musicais tradicionais. O som da natureza e até do corpo humano tornaram-se base de suas criações. No novo projeto de Alexandre Kassin (Artificial), por exemplo, foi utilizado um game boy acoplado a um cartucho que permite ao videogame portátil a função de um rudimentar sintetizador.

E não foi muito diferente com os percussionistas Cezar Borgatto e Fred Magalhães, que iniciaram um trabalho de pesquisa musical motivados pela riqueza cultural do Brasil. Samba, catira, frevo, maculelê, embolada, reggae, afro, maracatu, dance, xaxado; tudo isso faz parte do repertório musical da banda SomCatado, que toca mais de vinte ritmos e passou a ser um trio com a chegada de Fernando Mazonni.

Desde 1999, a banda de Brasília faz um som único por meio de instrumentos nada convencionais, como, baldes, máquina de escrever, escapamento de carro, sacos de papel, alem do próprio corpo através das artes cênicas. O cenário e o figurino mudam junto com os estilos tocados musicais tocados. Garis e cangaceiros são exemplos das personalidades encarnadas por eles ao tocarem.



Além da preocupação com a qualidade da música, outra prioridade trata-se do cuidado com a natureza e com a preservação do meio ambiente. Ritmos e sinfonias são criados a partir de materiais reciclados, transformados por eles em instrumentos musicais. Além de serem mais baratos, são fáceis de serem encontrados no dia-a-dia. Hip hop de panelas, funk de lataria, tambores de água, triângulo de amortecedor de carro, canos de pvc para ritmos nordestinos e até orelhão como zabumba foram algumas das criações da banda.

Com apresentações por todo o Brasil e até no exterior a chance de conhecer SomCatado está próxima. Neste sábado, 7 de outubro, a banda fará apresentação na festa da arquitetura da UnB, no Centro Comunitário. A originalidade estará presente também com a presença de outras bandas de Brasília, como Pegada Black e a dupla de Djs Isn’t and the Six (veja matéria: http://cacom.blogspot.com/2006/09/ultrasom.html) e com atrações de outras cidades, como o coletivo multiétnico Salve Jorge.

2 comentários:

Cristiano disse...

Excelente a idéia de falar de experimentalism, afinal de contas, os fãs de Mutantes, assim como eu, agradecem. O som experimental e instrumental t~em crescido muito no Brasil. Uma dica p/ quem gosta de som instrumental, só p/ dar uma de crítico musical(aiaiaiai!), é a banda paulistana Hurtmold, simplesmente incríveis, utilizam vários instrumentos, entre sopro, sintetizadores e toda uma base viajante e transcendental.
Valeu!

Carol Martins disse...

3º parágrafo, 5ª linha... tem um "tocado" sobrando, hehehe!