Notas Expressas

Tivemos um enxugamento do nosso corpo de repórteres, mas estamos, aos poucos, retomando o ritmo de publicação de matérias.
(atualizado em 20 de outubro de 2007)


terça-feira, 22 de agosto de 2006

O voto em questão

Alberto Fraga aposta na força dos policiais e bombeiros para conquistar seu terceiro mandato; o candidato centra suas propostas na Segurança Pública
por Gabriel Castro



O sergipano João Alberto Fraga Silva nasceu há 50 anos no município de Estância. Coronel da Polícia Militar, ele disputa as próximas eleições em busca de seu terceiro mandato consecutivo como deputado federal. Como deputado, sempre priorizou os projetos que contemplassem os policiais e os bombeiros, que constituem a parcela mais significativa de seus eleitores.

Em 98 foi eleito como suplente do deputado João de Deus, com 23 mil votos. Acabou exercendo o mandato na maior parte dos quatro anos. Em 2002, Fraga teve cerca de 28 mil votos e se tornou um dos oito deputados eleitos pelo DF.

Em 2002, com sua eleição já confirmada, Fraga impôs ao governador Joaquim Roriz uma condição para apoiá-lo no segundo turno: a exoneração de Ruy Sampaio, então chefe da PM no DF. O governador cedeu e demitiu Sampaio, que era seu homem de confiança. Fraga, desafeto do então comandante da PM, saiu fortalecido, mas deu início a uma crise na corporação.

Nas últimas eleições, Fraga alcançou uma votação considerável em diferentes localidades do DF. As cinco cidades que deram mais votos a Fraga foram Ceilândia, Taguatinga, Plano Piloto, Gama e Guará. Mas as duas primeiras constituem a base dos eleitores do deputado: quase 50% dos votos que o elegeram vieram de daquelas cidades.

Alberto Fraga é do PFL, mas foi eleito em seu primeiro mandato pelo PMDB. O deputado disputou as eleições de 2002 pelo PTB, mas como o partido aliou-se ao governo Lula, ele optou por ingressar no PFL. Num partido de oposição, Fraga encontrou espaço para fazer suas críticas, sempre em tom exaltado, ao governo federal. Causou polêmica um de seus discursos no qual ele acusava o governo federal de manter estreitas ligações com as Farc, grupo guerrilheiro que há quatro décadas atua na Colômbia. Quando a revista Veja denunciou uma suposta ajuda financeira das Farc ao PT nas eleições de 2002, Fraga chegou a recolher assinaturas de seus colegas para pedir a abertura de uma CPI que investigasse o caso, mas a idéia não prosseguiu por falta de apoio.

Em 2005, o deputado adquiriu notoriedade por ser presidente da Frente Parlamentar Pelo Direito da Legítima Defesa. Fraga capitalizou para si o sucesso da campanha, que conseguiu reverter a vantagem inicial da campanha do “Sim” ao desarmamento no Brasil. Com a vitória do “Não” nas urnas, o deputado pôde desfrutar de uma visibilidade positiva .Mas também foram lançadas dúvidas sobre os reais motivos que levaram Fraga a se empenhar na campanha contra o desarmamento: 70% dos gastos de sua campanha em 2002 foram cobertos por uma empresa fabricante de munições.

Recentemente, o deputado admitiu ter usado verbas de gabinete para promover sua imagem visando as eleições de outubro, e admitiu : "Quem tem mandato e disputa a reeleição realmente tem vantagem sobre os outros candidatos". Fraga também foi um dos nove deputados que deram votos contrários ao fim do recebimento de salários extras em convocações extraodrinárias. E jusfiticou: "Muitos deputados precisam desse dinheiro".

Fraga é considerado um dos deputados mais atuantes na Câmara Federal. Um dos recordistas no número de projetos apresentados na atual legislatura, ele também ocupa com freqüência a tribuna da Casa para proferir discursos, que giram comumente em torno de dois temas: críticas ao governo federal e a defesa dos bombeiros, dos policiais e dos militares. O deputado já apresentou 235 projetos de lei; a grande maioria diz respeito a benefícios às categorias que formam sua base eleitoral.

Na Câmara, Alberto Fraga é suplente em cinco comissões, e titular em oito (entre elas, a CPI das Armas,a Comissão de Segurança Pública e a Comissão que discute a Reforma da Previdência). Alberto Fraga também apresenta na TV Brasília o programa Questão de Segurança. Lá, o deputado recebe convidados em debates que têm como foco o a segurança pública.

Acesse o site do deputado: www.deputadofraga.com.br

A assessoria do deputado Alberto Fraga foi procurada mas não respondeu ao Blog do Cacom.

9 comentários:

Danilo Silvestre disse...

eu queria entender 1 coisa...
pq essa propaganda do Fraga no blog. essa eu não entendi.
pq nao foi feito algo tao sensacionalista com ele como foi feito com a Heloisa Helena?
Pq nao colocaram algo como "pq Fraga defendeu o não no referendo do desarmamento"?
difícil entender o pq dessas discrepâncias

Aerton Guimarães disse...

Não é difícil não, Danilo. Se você ler todas as colunas O voto em questão e também a matéria de abertura, que explica a coluna, escrita por mim inclusive, você verá que não há nada de "discrepante" na matéria.

Gabriel Castro disse...

Pode até criticar, mas seria bom ler antes:

"70% dos gastos de sua campanha em 2002 foram cobertos por uma empresa fabricante de munições."

Carla Caldas disse...

Eu só queria ressaltar uma coisinha que eu achei um erro, ou uma imprecisão no texto: vc disse "As cinco cidades que deram mais votos a Fraga foram Ceilândia, Taguatinga, Plano Piloto, Gama e Guará.". Só que Plano Piloto não é uma cidade. Aliás, nenhuma delas são cidades, são regiões administrativas. Só tomar cuidado com esses peguinhas.

Danilo Silvestre disse...

Aerton e Gabriel, eu li tudo o que foi escrito e li as outras matérias antes também. Eu queria entender o porque foi feito aquele sensacionalismo todo com a Heloisa Helena e agora é feito de forma diferente. Eu ainda continuo sem resposta.

ana elisa santana disse...

Danilo (e demais leitores do blog),
O texto sobre a HH era um artigo, tanto que foi escrito em primeira pessoa. Era um relato sobre o que aconteceu com nossa equipe ao procurar a assessoria dela. Não temos nada contra a candidata à presindência nem contra o seu partido. Assim como você se sente sem resposta quanto a forma que nós trabalhamos, nós do blog continuamos sem a resposta da assessoria da HH.
Mas se quiser continuar criticando os nossos questionamentos, o espaço está aberto justamente pra isso.

Anônimo disse...

Tambem nao entendi a propaganda feita para esse pilantra.

Gabriel Castro disse...

Seria ótimo pra mim fazer outra matéria com a repercussão que teve a da Heloísa Helena. O que eu ganharia fazendo propraganda pro Fraga?

Trechos da matéria sobre o Fraga:

"Fraga também foi um dos nove deputados que deram votos contrários ao fim do recebimento de salários extras em convocações extraodrinárias"

"Mas também foram lançadas dúvidas sobre os reais motivos que levaram Fraga a se empenhar na campanha contra o desarmamento: 70% dos gastos de sua campanha em 2002 foram cobertos por uma empresa fabricante de munições."

"Fraga, desafeto do então comandante da PM, saiu fortalecido, mas deu início a uma crise na corporação."

Isso é propaganda?

Gabriel Castro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.