Notas Expressas

Tivemos um enxugamento do nosso corpo de repórteres, mas estamos, aos poucos, retomando o ritmo de publicação de matérias.
(atualizado em 20 de outubro de 2007)


quarta-feira, 28 de março de 2007

Futebol!

O Jantar
por Vítor Matos

Quem não tem uma queda por grandes acontecimentos? Fatos marcantes, muitas vezes assombrosos, para chacoalhar as conversas de bar, as colunas dos jornais, mexer com a boca miúda. Não menos que semana passada sucedeu um desses estrondos. O parlamento chinês aprovou, por ampla maioria, a lei que regula a propriedade privada. Significa dizer que agora, e de uma vez por todas, a China mergulha de cabeça no capitalismo internacional. Numa alusão à história recente daquele país, analistas já se referem à lei da propriedade como o novo “Salto para Frente”. Paira uma sensação de que o mundo nunca mais será o mesmo depois da definitiva guinada chinesa rumo à economia de mercado. No futuro de nossos netos, esse fato conviverá, nos livros de didáticos, com a decapitação de Maria Antonieta, o desembarque na Normandia e a chegada à lua. Agradeçamos, porque estamos vendo a História a ser escrita.

É esse mesmo fascínio por testemunhar eventos históricos que levará milhares de cariocas ao Maracanã no domingo. Todos querem acompanhar de perto o heróico triunfo de Romário. Falta um para os mil. A façanha, inédita desde os idos tempos de Pelé, era tão polêmica, tão improvável, que até os menos interessados por futebol estão ansiosos pelo milésimo. Contra o Flamengo, ele quase aconteceu. Não fosse o goleiro Bruno esticar a ponta do pé para cortar a trajetória da bola, Romário teria ido parar nos braços da galera. Alguns repórteres, inclusive, já invadiam o campo para cercar o Baixinho, quando perceberam que a bola não ia entrar. Tudo bem, de domingo não passa. Feliz Botafogo, que terá a honra de ser o coadjuvante da festa. O país inteiro espera ansiosamente a chegada do grande momento. Vai ser de pênalti? Qual será a primeira frase de Romário assim que marcar o milésimo? A torcida do Botafogo vai comemorar junto? O fato de domingo ser 1o de Abril é um recado da providência? Questões para enquanto se espera o encerramento da odisséia.

Infelizmente, nem todo mundo festeja os gloriosos acontecimentos de março de 2007. Há sempre as figuras insatisfeitas. Enquanto a alegria roda o globo, contagiando desde empresários até torcedores de futebol, dois indivíduos, numa ilha isolada do Pacífico, remoem seus rancores num triste e funesto jantar. Falamos de Pelé e Mao Tse-tung.

― Carne de cachorro? ― oferece Mao.
― Não, obrigado. Vou de picanha ― responde um abatido Pelé.
― Sabe, se você fosse chinês, teria sérios problemas. Filhos demais.
― E você, no Brasil, não duraria muito. Comunista...
― Mundo engraçado esse, não?
― De fato.

Enquanto confabulam, nossos heróis não deixam de prestar atenção a uma TV no canto da mesa. Está passando um jogo do Vasco. A julgar pelos gritos do narrador, Romário acaba de marcar mais um gol.
― E de cabeça, o danando! ― protesta Pelé, dando um soco na mesa.
― Foi um belo salto...
― ... pra frente?
― Não provoque.
― Passa a carne de cachorro que eu vou experimentar.

Um comentário:

André Souza disse...

Finalmente uma atualização.