Notas Expressas

Tivemos um enxugamento do nosso corpo de repórteres, mas estamos, aos poucos, retomando o ritmo de publicação de matérias.
(atualizado em 20 de outubro de 2007)


quinta-feira, 26 de outubro de 2006

O voto em questão

Redução de gastos e investimentos na educação são os carros-chefes do programa de governo de Alckmin
por Bárbara Rosa e Edson Jr.

O pensamento é bem claro: o Governo não pode gastar mais do que arrecada. É o que afirma o candidato Alckmin com seu programa de governo. O documento tem como uma de suas principais metas criar condições para zerar as dívidas do país, diminuindo as despesas do próprio governo. O foco do candidato é gerar novos empregos e aumentar os investimentos nos setores produtivos por meio do crescimento econômico.

Alckmin não quer apenas promover o acesso à educação, mas também melhorar a qualidade do ensino gerando maiores investimentos na capacitação e motivação do professor. O candidato pretende assegurar que, até 2017, 95% dos alunos concluam o Ensino Fundamental cumprindo padrões de desempenho para cada série ou ciclo. Se eleito, Alckmin promete dar uma atenção maior ao Ensino Técnico e Superior. Para isso, quer implantar o PROTEC, programa de bolsas de estudo que permitirá o acesso das pessoas de baixa renda ao ensino técnico oferecido por instituições particulares.

Uma das grandes propostas do plano de governo de Alckmin é a Reforma da Previdência e a Reforma Tributária. Além de garantir que o trabalhador tenha uma vida mais digna, o candidato pretende incentivar o empreendedorismo e o fomento às grandes empresas.

O coordenador do Instituto de Ciência Política da UnB, Ricardo Caldas, fez um balanço sobre a campanha de Alckmin e aponta que foi uma surpresa ele ter chegado ao segundo turno. “Alckmin não soube mostrar quem ele é verdadeiramente. Diferentemente de Lula, que tem um carisma e a experiência de quatro eleições, ele não passou para a população o bom trabalho que desenvolveu em São Paulo”, diz. E apontou os problemas da campanha: “Apesar de ter tido uma criação de elite, Alckmin não conseguiu mostrar sua origem humilde, apenas sua credibilidade como um profissional da medicina. Assim como José Serra, ele é um candidato que não cativou os brasileiros”.

Apesar de não possuir uma história marcante e de tradição como Lula, Alckmin possui eleitores que acreditam que ele pode fazer um governo melhor que o petista. Walter Rosa, estudante do 3º semestre de Publicidade, não tem medo das privatizações e vai dar um voto de confiança ao candidato do PSDB. “A falta de ética é tão grande (no atual governo), e os petistas nem se preocupam em esconder isso da população”, afirma.

Um comentário:

André Souza disse...

Achei a matéria excessivamente simpática ao Alckmin.