Notas Expressas

Tivemos um enxugamento do nosso corpo de repórteres, mas estamos, aos poucos, retomando o ritmo de publicação de matérias.
(atualizado em 20 de outubro de 2007)


segunda-feira, 23 de abril de 2007

Palco alternativo

Tarde cheia de atrações na praça nova do Complexo Cultural da República
Por Mariana Haubert e Manuela Marla

E a festa rolou solta. Como previsto, a Esplanada dos Ministérios estava lotada no sábado - aniversário da capital. A passagem gratuita de metrô incentivou a ida de milhares de pessoas ao local. Na festa, a diversidade de programas procurava abranger todos os gostos.

Muitas atrações tomaram espaço no palco instalado na frente da Biblioteca do Complexo Cultural da República. Por lá passaram, entre outras bandas, Casa de Farinha, Banduirá e Sub-versão, grupos artísticos da Fundação Cultural de Tocantins, os cantores Célia Porto e Rênio Quintas, além do concerto da Orquestra Sinfônica de Brasília e do pianista Arthur Moreira Lima.

Um destaque é feito à banda brasiliense Casa de Farinha, que nasceu de uma união entre as cantoras Andréa Siqueira, Débora Aquino, Claudia Daibert e Marta Carvalho e os bateristas e percussionistas André Togni e Lupa. Em suas composições, o grupo faz uma mistura de elementos tradicionais da cultura popular com elementos mais modernos.

Uma grande ciranda foi formada durante o show

Cléber Barros(BA) e Rafael Lage(BH), há cinco anos de viagens pelo Brasil, vieram a Brasília para assistir, pela primeira vez ao vivo, a um show do referido grupo. Mas a grande festa os surpreendeu. “Estou acostumado a festas das cidades do interior onde toda a cidade está presente. Brasília, apesar de ser uma cidade grande, conseguiu reunir todo mundo”, comentou Rafael.

2 comentários:

Editor disse...

ERRATA EXPRESSA

A autoria da foto foi omitida. Pois bem, a imagem foi capturada por Mariana Haubert. Pronto! Credito feito.

Anônimo disse...

Na verdade, a festa foi boa em partes.

O policiamente no local não foi suficiente ao ponto de coibir, de maneira satisfatória, a prática de arrastões, furtos, roubos e utilização de drogas.

Outro problema foi a falta de transporte público no final da festa. O metrô foi fundamental para a ligação das cidades satélites (parte sul) com a esplanada. Mas, ao fim dos shows e apresentações, o Metrô estava inoperante, o que gerou um grande tumulto na volta.

A mistura de álcool e falta de policiamente gerou imagens revoltantes, como pode ser visto na reportagem exibida pelo DFTV (Rede Globo).

No site deles há o vídeo ( http://www.globo.com/DFTV ).